Quem torna o mundo um lugar melhor? A Associação De Volta a Casa

Associação De Volta a Casa

O meu nome é Manuel Joaquim Pereira de Sá, nasci em Caldas da Rainha, na Casa de Saúde Montepio Rainha D. Leonor, em julho do ano de 1962. Dos 18 aos 21 anos a minha atenção dirigia-se para um grupo de marginalizados que ao final do dia, juntavam-se em grupos na Praça da Republica (Praça da Fruta), Parque D. Carlos I e Rua de Camões. Grupo desviante e de contracultura, com um visual Rocker, inspirados nos seus Ídolos de heavy metal, como Led Zeppelin, Deep Puple, Black Sabbata, etc. Ao passar tantas vezes por estes locais, senti um apelo crescente dentro de mim de que deveria fazer alguma coisa por estes jovens “rebeldes”. Refletindo dia após dia, lembrei-me de escrever umas mensagens, que as apelidei de Missivas. Escritas de forma poética e com uma mensagem de esperança e apelo à mudança. Tendo, eu, a consciência que era preciso ultrapassar a minha timidez para chegar a estes. Sobrepondo-me a mim mesmo, no final do dia, comecei, então, por entregar pessoalmente estas missivas. Inicialmente houve alguma resistência por acharem de que se tratava de alguém que queria impor a sua crença ou falar da sua religião. Pouco a pouco consegui atrair a amizade e consoante as suas necessidade arranjava-lhes comida ou roupas. As missivas foram a ponte para estabelecer a confiança destes jovens e poder assim prestar-lhes apoio. Poucos anos depois procurava um local onde pudesse dar uma ajuda mais efetiva e possibilitar-lhes algumas condições. Na Rua de Camões junto ao parque, existia uma pequena taberna, de nome “Casa América” que servia comidas e bebidas. Esta era frequentada por uma rapariga de nome Jaqueline, que me pedira, para lhe pagar uma refeição. Falei com a proprietária, a D. Zézinha (Maria José Félix, minha conhecida de longa data, que veio posteriormente a ser o meu braço direito, no apoio a pessoas carenciadas) se podia servir uma refeição diária a esta jovem, e no final do mês faríamos contas. Esta acedeu ao meu pedido e com o passar do tempo alargou-se a ajuda a todos aqueles que procuravam um prato de comida quente para mitigar a fome e roupas limpas para se vestirem. Durante alguns anos foram apoiados muitos necessitados nesta pequena taberna. Em finais de 1998, por questões pessoais e porque o prédio desta taberna ficou à venda, a D. Zézinha encerrou o seu estabelecimento comercial, mas continuou a garantir diariamente as refeições quentes que as deixava em recipientes dentro de sacos no corredor contiguo à taberna – esta tinha uma entrada independente. Nas horas de servir as refeições (almoço e jantar) transportava os sacos da comida com ajuda de um ou outro jovem utente para o parque D. Carlos I, onde foram servidas as refeições durante três anos em condições precárias. Em 2002, um senhor padre, tendo conhecimento do apoio realizado nesta cidade a pessoas carenciadas, quis falar comigo. Agendamos um dia e foram marcadas outras reuniões futuras. Numa dessas reuniões, foram todos unânimes, em pedir ajuda na Câmara Municipal de Caldas da Rainha a fim de esta nos ceder um espaço. Marcada reunião, com a Senhora Vereadora Maria da Conceição, com o pelouro da Cultura e da Ação Social, expôs-se a situação e solicitou-se-lhe ajuda, mostrando-se esta, na reunião, sensível e disposta a encontrar um local para nós. Alguns dias depois recebe-mos da parte da senhora Vereadora, a informação de que havia vagado um espaço ao topo da “Praça da Fruta” que servira de arrecadação do equipamento de limpeza do tabuleiro da referida praça, mas não sabia se estaríamos interessados, uma vez que, o interior deste espaço encontrava-se muito degradado. Ao visitar o local, e sem olhar para trás, achámos que era o sítio ideal para este trabalho de apoio aos mais carenciados, não só devido à localização mas por termos a praça ao pé. Para celebrar protocolo com a Câmara de usufruto deste espaço, tinha-mos para o efeito constituir associação. Apressámos toda a parte burocrática a fim de nos registar como Associação na Conservatória do Registo Civil. Com a situação legalizada nasceu então “De Volta a Casa”, nome atribuído por mim. Na inauguração oficial deste novo espaço em 2003, após muito trabalho voluntário para recuperação de todo o interior, estiveram presentes: a Senhora Vereadora, pessoas amigas, jornalistas, etc. destacando os jornais da região “ A Gazeta das Caldas e Jornal das Caldas” informação de que nasceu nas Caldas da Rainha uma associação de apoio aos sem-abrigo e pessoas carenciadas. Neste espaço que funcionou de 2003 a 2010 veio a encerrar as suas portas por a Câmara não renovar o contrato protocolar de usufruto devido a esta edilidade querer impor algumas regras de funcionamento. Em janeiro 2010 voltei de novo a servir as refeições na rua, sozinho, como em tempo o fizera, escolhendo alguns locais estratégicos para o efeito. Umas vezes no parque de merendas, da Mata, que só tive permissão pela administração desta mata, pertença ao hospital termal, por um mês tendo que depois abandonar este local, outras no Largo Espírito Santo, traseiras dos Pavilhões do parque, parte lateral do CCC, junto à entrada da Praça do Peixe, fonte junto ao Hospital Termal e encosta do Sol, junto à Escola Básica, esta última onde permaneci mais tempo. Em alguns locais houve interdição, inclusive, chamaram a polícia ou tentaram dissuadir por acharem incómodo ter indigentes por perto. Em 2014, passava várias vezes pela Rua Adelino Soares de Oliveira (local onde permaneço). vi uma pequena garagem que se encontrava em obras. Falei com o pedreiro e perguntei-lhe se a garagem estava para arrendar, respondendo afirmativamente, deu-me o contato telefónico do senhorio. Falei com este e acordámos em fazer contrato de arrendamento. Este é apenas um pequeno resumo da minha biografia com muitas histórias pelo caminho.  

De Volta a Casa, garante diariamente duas refeições (almoço e jantar). Proporciona também aos seus utentes que necessitam de banho ou roupa lavada uma pequena casa de banho com chuveiro e uma máquina de lavar a roupa.  

O Espaço de apoio fica situado na Rua Adelino Soares de Oliveira, 24 B/C.

Podem pesquisar no Google em Joaquim Sá Caldas da Rainha ou De Volta a Casa Caldas da Rainha.

Podem seguir no Facebook todo as informações desta atividade em (De Volta a Casa) Joaquim Sá.

Meu contato: 964668240

Artigo redigido por: Joaquim Sá

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *